BADUEMOA

MECANIZAÇÃO AGRÁRIA COM ARRANJOS PRODUTIVOS NA ÁFRICA OCIDENTAL

GUINÉ BISSAU

Com objectivo de encontrar parecerias que permitam mais internacionalização do Programa Brasileiro mais alimento e, em especial, a sua implementação nos países da Áfrcia Ocidental, uma importante delegação integrada pelo representante do Governo Brasileiro, Guilherme Menezes MARTINELLI, responsável do Programa mais alimento, representante da Fundação Getrulio Vargas, Cleber Lima GUARANY, responsável de projectos da fundação, representante da Câmara de Comércio Brasil-Moçambique, Sinfrónio SILVA JÚNIOR, presidente da Câmara de Comércio Brasil Moçambique e Presidente indicado da Câmara de Comércio para agricultura e pecuária Brasil-Africa, e o Florentino Fernando DIAS, em representação do Grupo de interesse do projecto na Guiné-Bissau, deslocou-se para Abidjan, Côte D´Ivoire, para encontros com responsáveis do Banco Africano de Desenvolvimento-BAD, e para Ouagadougou, Burkina Faso, para encontros com os responsáveis da Comissão da União Económica e Monetária da Africa Ocidental-UEMOA (Sigla do nome em francês). 

A delegação teve encontros com os responsáveis do BAD, em Abidjam, onde se destacam encontro com a responsável do Programa da Agricultura, senhora TODA Atsuko, e a o Director Geral para África Ocidental, senhor Javier K. LITSE, dos quais resultou um forte compromisso do Banco em apoiar o Brasil no seu programa mais alimento, podendo, inclusive, financiar projectos para países Africanos.

 Os responsáveis do Banco analisaram a situação de diferentes países, tendo indicado oportunidades que cada um pode aproveitar. Para a Guiné Bissau, o BAD vê a possibilidade de se aproveitar de fundos de apoio, de aproveitar dos financiamentos possíveis para projectos rentáveis, que requererem um pedido do Governo, o Banco vê ainda a possibilidade de se aproveitar de janela de investimentos privados, devendo, para o efeito, existir uma linha de crédito que o país pode aproveitar.

 Com efeito, o Banco mostrou, com clareza, a necessidade de um forte engajamento de estado para que o projecto de Arroz para a Guiné-Bissau possa ter financiamento, pelo menos no que respeito diz ao financiamento público, isto é, com taxas de juros concessionias. No que tange ao financiamento aos projectos privados, uma segunda janela identificada pelos responsáveis do BAD, o projecto pode aproveitar da linha de crédito que o BAD pode pôr a disposição dos Bancos Nacionais, tendo sido informado que está em discussão, com a Sua Excelência o Ministro da Economia e das Finanças da Guiné-Bissau, Mamadu Aladje Fadia, a possibilidade de pôr a disposição dos Bancos comercias da Guiné Bissau uma linha de crédito para financiar a Economia.

Contudo, o projecto apresentado sob forma de projecto privado pode ainda beneficiar de financiamento directo do Banco, se este concluir que se trata de um projeto importante e estruturante para economia, tendo, com  efeito, os responsáveis do Banco disponibilizado  a analisar o projecto pro-arroz da Guiné-Bissau e ver a possibilidade do seu financiamento.

 De seguida, a delegação foi recebida, em audiências, pela Comissão da UEMOA, através, primeiro e numa audiência mais alargada, do Comissário Responsável pelo Mercado e Cooperação Internacional, Dr. IBRAHIMA DIEMME, em representação do Presidente da Comissão, que se encontrava de missão, e, segundo e no âmbito de uma visita de cortesia, do comissário responsável pela Agricultura. Dos encontros com os responsáveis da comissão resultou uma enorme vontade da Comissão firmar um acordo com Brasil,  na esteira do já existente acordo no domínio de Bio-combustível, no domínio de Arroz com objectivo de ajudar na mecanização da Agricultura nos países integrantes da UEMOA e um forte engajamento em realizar acções com vista a satisfação deste desiderato, tendo sido assumido compromisso de, num período de tempo curto, rubricar um protocolo de acordo, com um cronograma detalhado, e indicado dois pontos focais para seguir o projecto, nas pessoas do Dr. Seyni HAMADOU, Director da Agricultura, e do Dr. RABIOU Albert, Director da  cooperação.

 Tratando do caso específico da Guiné-Bissau, os Comissários acreditam ser possível conceber uma montagem financeira entre a Comissão da EUMOA, BAD e o governo brasileiro para financiar o projeto da Guiné-Bissau, devendo, para isso, ser feito um trabalho  que deva, como é óbvio, ter uma forte actuação do Governo da Guiné Bissau, que passa por definir com clareza o papel destes diferentes intervenientes no processo. O Banco Africano de Desenvolvimento pode, espera-se, financiar o projecto, a Comissão da UEMOA pode apresentar a garantia do pagamento do projecto no tempo acordado, o governo Brasileiro e as instituiões que o acompanham, como seja o caso da Fundação Getrudio Vargas, assumem a coordenação técnica do projecto, traduzida, como se descreve no projecto, em assegurar o fornecimentos de diferentes pacotes de serviço, pacote tecnológico e experiência, e, finalmente, o Gverno manifestaria interesse no projecto e, acto contínuo, formula o pedido de acompanhamento, quer ao BAD, quer a comissão da UEMOA .

 Entretanto, Comissão não vê a possibilidade da sua participação, pelo menos agora, num projecto privado. Contudo, demonstra ser possível investimento privados, tendo os nossos interlucutores falado de experiências pssadas de financiamento de projecto privado, sobetudo de projecto que dispõe de uma forte componente de social. 

BADUEMOA2
Encontro com o Comissário Responsável pelo Mercado e Cooperação Internacional, Dr. IBRAHIMA DIEMME, substituindo, no acto, o Presidente da Comissão da UEMOA

Portanto, há uma grande perspectiva para o projecto de arroz da Guiné Bissau, porém há ainda um trabalho a fazer em facilitar a articulação das estruturas que devem participar na operação. Como se pode ver, existem condições para a realizaçõ do projecto, pois os responsáveis das instituições visitadas, quer do BAD, quer da comissão DA UEMOA, demonstram grande interesse em ajudar a Guiné Bissau no seu desenvolvimento agrário.

BADUEMOA3
Encontro com o Comissário Responsável pela Agricultura.

 

BADUEMOA4
Encontro com o Director Geral para África Ocidental do BAD, senhor Javier K. LITSE

   

BADUEMOA5
A Recepção oferecida pela Embaixadora da República Federativa Brasileira em Burkina Faso.

 

Bissau 24 de Novembro do ano 2017

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *